Sabemos, irmãos, amados de Deus, que ele os escolheu porque o nosso evangelho não chegou a vocês somente em palavra, mas também em poder, no Espírito Santo e em plena convicção. Vocês sabem como procedemos entre vocês, em seu favor.” (1Tessalonicenses 1:4-5). 

A pregação do Apóstolo Paulo em Tessalônica foi curto, três sábados devido a intensa perseguição que a seguiu. Judeus da cidade, tomado por inveja, juntaram alguns homens perversos e criaram um grande rebuliço na cidade, inclusive, invadiram a casa de Jason, homem que acolheu Paulo e Silas. Então, durante noite, Paulo e Silas fugiram para Bereia e, sabendo que a Palavra lá também estava sendo pregada, os Judeus de Tessalônica, foram a Bereia criar tumulto outras vez. Assim, Paulo foi colocado no mar por seus companheiros deixando em Bereia Timóteo e Silas Atos 17: 1-14

Quando Paulo e Silas saíram de Tessalônica, os novos crentes que permaneceram na cidade sofreram intensas perseguições. Sofreram com rejeição social, desdém e, sendo insultados como “escórias da Terra” (Leonard). É neste contexto de perseguição que Paulo escreveu sua carta aos Tessalonicenses, assegurando a eles que “Deus os escolheu”.  

O termo “eleição” ou “escolha” causa muitas controvérsias e teologias equivocadas. Não quero entrar em detalhes, mas, é importante ressaltar que “eleição” não é sobre determinação, algo arbitrário de um Deus que joga dados cósmicos. Ou um Deus cujo a vontade se manifesta em seres autômatos que respondem ao chamado divino de forma “irresistível”, tornando todo o processo impessoal e meramente mecânico.  

Deus, em última análise, liberta o arbítrio humano para a possibilidade de escolhê-Lo. E isso não fere em absolutamente nada a soberania de Deus, pelo contrário, Deus é absolutamente soberano de tal forma que criou seres que são capazes de rejeitá-Lo (Vailatti). Porque do contrário Deus não seria Deus, seria um medroso muito parecido com os pais contemporâneos que morrem de medo de serem rejeitados pelos filhos e por isso os cercam como podem e restringem às liberdades o máximo de tempo possível. Este sentimento de aprisionamento do “amor” é próprio dos seres humanos. 

Deus é soberano! Não precisa mendigar, mas, por amor, Ele misericordiosamente nos chama para um profundo relacionamento onde Ele continuará sendo SOBERANO! 

Retornando, em Tessalonicenses, Paulo usa as palavras “escolhidos” ou “Eleitos” como um status especial conferido por Deus a eles.  

O Termo “escolhidos” era usado pelos próprios judeus referindo-se a si mesmo como povo de Deus. Assim, o que o Apóstolo faz é deslocar este termo para novos convertidos a Cristo (Keneer) como quem diz: “olha, aqueles que se dizem ‘escolhidos’, perseguem vocês, mas, são vocês os verdadeiros ‘escolhidos’ são vocês que estão dentro da promessa feita ao patriarca Abraão, vocês são escolhidos porque estão em Cristo.” 

Em uma sociedade que os tratava como “escória da Terra” Paulo os lembra que na verdade eles são o povo verdadeiramente Eleito e isto é infinitamente maior que qualquer insulto que receberam. 

Isto nos leva a pensar, como os tessalonicenses, poderiam comprovar que foram realmente “Eleitos”? Eles testemunharam a Pregação da Palavra de Paulo em poder e no Espírito Santo. E, esta Palavra lhes deu “plena convicção” quando responderam com fé (Ts 2: 13). O Apóstolo estava lembrando-os que, apesar de todos os insultos, o desdém e as perseguições, Deus os trata como “os escolhidos” e isto é um grande privilégio diante de uma geração de incrédulos. Então, aquela certeza que pousou nos corações durante a conversão deve ser mantida porque se as palavras de Paulo fossem meramente humanas não teriam causado tanto impacto. Eles deveriam perseverar na sã doutrina porque eles já provaram da Verdade com poder e no Espírito Santo e agora deveriam permanecer firmes, pois o mesmo Espírito Santo que os capacitou para responder positivamente à Palavra de poder os capacitaria agora para suportar as perseguições.  

Nós sabemos que, mesmo sendo humilhados, achincalhados, desprezados, chamados de escórias da Terra, eles foram capacitados pelo Espírito Santo mantiveram as obras com fé, trabalhando com amor à comunidade e esperaram pacientemente no Senhor Jesus Cristo. (Ts 1: 3). Deus seja louvado! 

Que povo! E que exemplo de fé. Os verdadeiros escolhidos, aqueles que foram chamados e responderam positivamente (I Ts 2:13) à Deus, sempre serão capacitados para permanecer na fé. E estes sinais de capacitação, que seguiram os tessalonicenses, seguirão a todos quanto creram no nome do Senhor Jesus. Então, os Escolhidos verdadeiramente guardam a fé que receberam, trabalham incansavelmente com amor pela comunidade e com grande esperança esperam em Cristo Jesus, o Senhor! 

Leonard, James. Election in 1Thessalonians: Assurance for Persecuted Belivers. Society of Evagelical Arminians, 2021. Digital. Visitado 20. Mar. 2021 <http://evangelicalarminians.org/james-leonard-election-in-1-thessalonians-assurance-for-persecuted-believers/

Vailatti, Carlos. Fez algumas vezes este comentário em ministrações, há diversos vídeos.  

Keener, Craig S. Comentário Histórico-cultural da Bíblia. São Paulo, Vida Nova: 2017. Impresso. 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *