Como foi possível perceber na introdução, efésios, é a Rainha das Epistolas, um ponto alto da literatura devocional no Novo Testamento [4]. É, provavelmente, a carta que expressa mais profundamente o pensamento teológico neotestamentário. Por isso, neste Breve Panorama da Carta aos Efésios, vamos aprofundar os principais temas tratados pelo Apóstolo Paulo em sua carta.

Aspectos Teológicos

Sobre o Trabalho da Trindade

O Novo Testamento, em momento algum, nos traz uma discussão do significado da Trindade. Porém, isso não significa que a mentalidade dos Apóstolos, estivesse alheia a este tema. Pois é na Trindade que a realidade Bíblica da obra da salvação e de todo trabalho de Deus em uma religião monoteísta faz sentido.

Breve Considerações Trindade

Ao contrário do que muitos acreditam a Trindade não é um tema tardio na igreja de Cristo, os Apóstolos tiveram que lidar com esta questão desde muito cedo, assim, o tema não está somente nos textos Bíblicos, alvo das reflexões de diversos teólogos ao longo da história, a Trindade, está na mentalidade dos escritores bíblicos, mesmo que isto não seja claro. [5]

A doutrina da Trindade é facilmente admitida por diversas pessoas como algo de difícil compreensão, porém, isto não é um argumento saudável para o cristão que deseja manifestar e defender sua fé. Não devemos negligenciar um tema tão rico e, principalmente, importante para a fé cristã. A Cruz de Cristo manifesta a obra do Deus Trino [6]. No mais, Deus, único e verdadeiro, manifestou-se a nós desta forma, três pessoas que contém a mesma natureza/essência divina.

Uma pessoa é um ser pensante, o seja, há um núcleo consciente em si mesmo. Ser uma pessoa envolve inúmeros outros fatores como possuir sentimentos, vontades etc. Dizer que Deus é três pessoas significa que a essência divina que é única são, ao mesmo tempo, três consciências individuais.

Desta forma, podemos dizer que cada pessoa da Trindade é totalmente consciente de si mesmo com existência eterna e interpessoal que se relaciona com as outras duas consciências também eternas e interpessoais. Nossa referência deste relacionamento é Pai, Filho e Espírito Santo. [7]

Não são três deuses como acreditam os politeístas ou os triteístas, isto contradiz as Escrituras Deuteronômio 6: 4 [6] O que existe são três centros de consciência que compartilha a mesma substância divina.

Dizer que o Pai o Filho e o Espírito Santo são um significa que a totalidade da divindade é substancialmente um e que, tal substância, está em cada indivíduo.

A essência do Pai é divina, a essência do Filho é divina, e a essência Espírito Santo é divina, portanto, os três são iguais em divindade. Isto é o que concebemos de natureza trinitária de Deus.

A divindade do Pai dificilmente é questionada, a Divindade do Espírito Santo, mesmo com números textuais menores sobre Sua divindade [5] também é pouco questionada, é, na maioria das vezes, a divindade do Filho que é colocada em questão. Isto acontece, geralmente por conta do mistério da encarnação. Mas sabemos que, a negação da divindade do Filho, é uma heresia antiga. Os Apóstolos, já no primeiro século, precisaram combater os gnósticos que diziam, entre outra coisa, que Jesus não tem um corpo físico, Colossenses 2:9.

No Antigo Testamento, é possível observar a natureza Triúna de Deus mesmo que não declarada expressamente. Há concordância plural de Gênesis 1:26; 3:22 e 11:7 é notável. A Trindade se revela no Antigo Testamento pelo Seu nome “Elohim” que é a palavra plural de “Yahweh”. Outros exemplos podem ser vistos no livro conhecendo o Deus trino. Porém, somente no Novo testamento que a doutrina da Trindade se revela de forma plena.

O Novo Testamento revela com inúmeros textos a natureza trinitária de Deus. Mostrando que cada Pessoa da Trindade é distinta da outra Pessoa da Trindade, João 1:1; 5:17-18; 10:25-36; Tito 2:3; Colossenses 2:9; 1Jo 5:20; Apocalipse 5:8-13.

Assim, a pergunta mais frequente é: Por que Deus se fez conhecido no Novo Testamento de forma trinitária enquanto no Antigo Testamento isto não é manifesto claramente?

Fico com a resposta do Jack Cottrel, em Lições em Primeira Pedro, é a resposta mais simples: não era necessário. Isto é, no quadro da história humana não havia chegado o tempo em que esta revelação era necessária para a história da salvação.

É, somente depois da encarnação do Filho e Sua obra para perdão dos pecados Rom 3:24-25, somente depois da Sua ascensão que, no dia de Pentecostes, pode ser derramado Seu Espírito, At 2:38-35, é que se torna verdadeiramente necessária o conhecimento pleno da natureza trinitária de Deus.

A Trindade na Carta aos Efésios

Nesta carta, o Pai é, claramente, Criador e Soberano sobre tudo que há no universo. E o Espírito Santo é a presença e o poder de Deus no mundo. Foi o Pai quem derramou suas bençãos espirituais sobre nós por causa da obra do Filho vers. 3. E todas as bençãos espirituais nos são garantidas porque o Espírito Santo nos selou nele para salvação.

Assim, é possível notar que o Apóstolo Paulo faz questão de mencionar individualmente cada membro da Trindade veja: Está Escrito:

“Por essa razão, ajoelho-me diante do Pai, do qual recebe o nome toda a família nos céus e na terra. Oro para que, com as suas gloriosas riquezas, ele os fortaleça no íntimo do seu ser com poder, por meio do seu Espírito,
para que Cristo habite em seus corações mediante a fé
.”

Efésios 3: 14-19

Todas as bençãos espirituais, citadas pelo Apóstolo, nos são imputadas através do trabalho de um Deus Trino.

Exaltada Natureza de Cristo

Não há outra carta no Novo Testamento que exalta com tamanha profundidade a Natureza Exaltada de Cristo como em Efésios e Colossenses.

O Termo, “Senhor” é empregado entorno de 25 vezes para se referir a Cristo. O Apóstolo deixa claro, Cristo é o Senhor cósmico. Ele é quem está assentado a direita do Pai Efésios 1: 18-20. Ele é o Todo-poderoso Efésios 1: 21-22.

Paulo enfatiza que Cristo é vitorioso sobre todas as forças do mal Efésios 4:8 e seus seguidores podem se vestir com uma armadura espiritual e seguir confiantes porque a vitória está garantida. Os anjos rebeldes já foram vencidos e a vida está assegurada nele que é o Senhor Verdadeiro sobre todo o cosmo.

Cristo está com o Pai e é a cabeça de toda a criação Efésios 1:22. Foi Ele quem venceu a natureza do pecado com Seu sangue e, através do sacrifício na cruz, tornou possível nos achegar a Deus Efésios 2:16.

Cristo removeu o muro que nos separava do Pai fazendo-nos nova criação para Ele. Foi Cristo quem faz e reuni um só povo, a Igreja, pois Ele é quem derrubou as inimizades entre os povos. Cristo nos reconciliou com Deus e uns com os outros, é uma dupla reconciliação. Efésios 2:14-16.

Em Cristo foram quebradas todas as barreiras que separava o Criador das criaturas, pois através de Cristo fomos feitas novas criaturas, temos uma nova natureza.

A chave para a compreensão da obra de Deus no mundo é Cristo, pois é através Dele que todos os aspectos da salvação de Deus aos Homens vieram.

O Presente da Salvação

Um dos aspectos mais incríveis que o Apóstolo nos apresenta na Carta aos efésios é a salvação. O Maravilhoso presente da redenção fica evidente em Efésios 1: 3- 14 e tudo só é possível graças a sabedoria e entendimento de Deus, entendimento esse que Ele mesmo derramou sobre nós para revelar o propósito da Sua vontade. E o mistério da Sua vontade é que para Cristo converge todas as coisas, seja No céu o na Terra.

Outro ponto importante é que em Cristo Deus nos predestinou para a redenção. E, mais, não somente nos ressuscitou com Cristo como também o Pai nos colocou assentado com Cristo nas regiões celestiais para que nas eras vindouras faça-se conhecer Sua maravilhosa bondade para conosco. Efésios 2: 6-7.

Está redenção, é uma redenção cósmica, capaz de rearmonizar o Criador e sua Criação.

A Igreja como Corpo de Cristo

Aos efésios, Paulo, também ensina a respeito da Doutrina da Igreja. O Apóstolo deseja ajudá-los na melhor compreensão do que é a benção de ser o Corpo de Cristo. Os Efésios, como nós, enquanto crentes em Jesus Cristo, somos a marca da nova criação. Deus em Cristo está produzindo uma nova humanidade de inúmeras pessoas, tribos e raças, mas que são um só povo.  Efésios 2: 14:15.

A cruz removeu os resultados do pecado, agora, através dessa maravilhosa obra é possível existir paz entre os Homens.  O velho caminho que nos separava, o caminho do pecado, o caminho nos fazia olhar apenas para nós mesmos, foi destruído na cruz de Cristo. Tudo foi feito novo, e podemos viver em paz uns com os outros. Efésios 4: 22-24. Agora, todos têm a oportunidade de crescer e amadurecer espiritualmente, pois somos corpo de uma só cabeça, Cristo.

Os crentes estão unidos a Cristo e uns aos outros, então, cada um deve usar seus dons e talentos para edificar o próximo, a Igreja.

A Derrota dos Poderes Cósmicos

Em Efésios e Colossenses está o centro da Doutrina paulina a respeito da Guerra Espiritual. Em Atos 19 mostra que em Éfeso havia enorme estátua de Ártemis, que fez da cidade epicentro da feitiçaria e do ocultismo em Roma.

Assim, Paulo deseja que seus leitores estejam cientes dos perigos que os principados e potestades do ar representam para o povo de Deus e que, apesar desse perigo ser real, Cristo já venceu e mais, o poder para impedir o avanço do mal está à disposição da Igreja. Efésios 1: 21-22.

Em Colossenses 2: 15 mostra que a morte de Cristo desarmou os poderes. E, agora a vitória de Cristo já está declarada publicamente. O que o cristão deve fazer é não mais permitir que o corrompa. Os filhos de Deus em Cristo já venceram o reino das trevas Efésios 3: 10, e podem anunciar esta maravilhosa vitória livremente.

A Guerra é retratada em Efésios 6: 10-17, onde declara que há forças do mal lutando contra nós e a Armadura de Deus nos habilitará para vencermos os poderes das trevas.

Cristo já venceu os poderes das trevas e sua vitória pode ser experimentada por todos os seus seguidores quando colocamos nossa confiança Nele.

Referências

[1]G. R. Osborne, Ephesians Verse by Verse, Bellingham: Lexham, 2007.
[2]D. A. Carson, D. J. Moo e L. Morris, Introdução ao Novo Testamento, Tradução de Márcio Loureiro Redondo, São Paulo: Vida Nova, 1997.
[3]B. L. Shelley, História do Cristianismo, Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2020.
[4]W. Barclay, “The Letter to the Ephesians trad. Carlos Biagini,” 2021.
[5]A. W. Wainwright, La Trinidad en el Nuevo Testamento: Estudios teológicos, Barcelona: Clie, 2015.
[6]T. Chester, Conhecendo o Deus Trino: Porque Pai, Filho e Espírito Santo são boas novas Trad. Elizabeth Gomes, São José dos Campos, SP: Fiel, 2016.
[7]J. Cottrel, Studies in First Peter: 35 Lessons For Personal or Group Study, Mason, OH: Christian Restoration Association, 2017.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *