“Dos seus aposentos celestes ele rega os montes; sacia-se a terra com o fruto das tuas obras! 
É ele que faz crescer o pasto para o gado, e as plantas que o homem cultiva, para da terra tirar o alimento: 
o vinho, que alegra o coração do homem; o azeite, que faz brilhar o rosto, e o pão que sustenta o seu vigor.” Salmo 104: 14-15. 

No século XXI, tempos onde todas as atividades humanas são vistas como responsabilidade única e exclusivamente dos indivíduos. Atividades estas que são desenvolvidas através da razão e de sua própria força. Ou seja, tempos onde tudo e todas as coisas giram em torno dos seres humanos e das suas capacidades administrativas.  

Isto é, os Homens fazem coisas para si mesmos através de sua própria inteligência, por sua própria vontade e para sua própria glória. A mentalidade Iluminista venceu! 

Os seres humanos acreditam que fazem por si mesmos tudo aquilo que nem a natureza (nada) nem ninguém, seja outros seres humanos ou até mesmo o próprio Deus, fará ou será capaz de fazer por eles. 

O Super Homem Nietzschiano, crê que suas necessidades são supridas única e exclusivamente por ele mesmo, dessa forma, tudo depende de suas próprias escolhas e esforços para alcançar o que deseja. 

Nietzsche, ilustra bem o século XXI quando diz: “Há uma estrada que ninguém pode percorrer só você. Não pergunte aonde leva, vá em frente”. 

Diante desse quadro, o ser humano comum não reconhece de onde veio, não sabe onde está, nem sabe para onde vai, as certezas despedaçaram-se no ar de um mundo líquido.  

A frase de Tyler Durden em o Club da Luta, expressa bem os estes sentimentos tão comuns, já que constantemente é visto em redes sociais diz: “Trabalhamos em empregos que não queremos para comprar um monte de coisas que não gostamos”. Uma frase que demonstra o profundo niilismo em que está metido o Homem comum. 

Há menos de 2 séculos a mente, a vida e o trabalho dos seres humanos comuns estavam intrinsecamente relacionados à providência divina. Situação bastante distante da realidade comum hoje. Mesmo para aqueles que chamamos de “um bom cristão” esta realidade é quase impensável. 

Podemos notar isto facilmente ao ler correspondências de homens do passado, como notou R. C. Sproul em “Deus no Controle de Tudo”. Ao lermos as cartas entre Benjamin Franklin e Josh Adams é possível observar uma abundância de frases, expressões e palavras a respeito de providência como, por exemplo, “providência benevolente” ou “providência irada”. De qualquer maneira, sejam nas coisas boas ou nas ruins, para o Homem do passado, Deus estava intimamente ligado aos afazeres humanos. Deus estava verdadeiramente no cotidiano da sua criatura como mostra o Salmo 104

Então, afinal, o que é providência? 

Providência está relacionado a atividade de Deus no mundo, isto é, interferências diretas da mão invisível de Deus tanto na história coletiva humana como diretamente na vida individual cotidiana, como mostra o Salmo 104. Pois, Ele é Deus que vê e também Deus que age! Ele Criou e Ele Sustenta a criação Genesis 1. Ele não está distante daquilo que criou. Isto é, por mais sólido que pareça o mundo físico, por mais firme frente a nossos olhos, se o Criador retirasse a Sua glória da criação, tudo desabaria em ruínas (Motyer) 

Jean-Paul Sartre (1905-1980), pensador do século XX, faz uma declaração muito pertinente para a compreensão que temos no século XXI sobre a doutrina da providência. Sartre entende Deus como “um espreitador cósmico que olha pela fechadura da porta”. (Sproul) 

Hoje ainda se discute muito sobre privacidade, como no século passado, porém, é possível notar que a tecnologia se incorpora na vida cotidiana e passa a fazer parte sem que exista uma atitude realmente relevante por parte dos usuários para que a privacidade seja respeitada. Grandes empresas detém todos os nossos dados pessoais, inclusive por onde andamos, há aplicativos que sabem até quantos passos foram dados.  

Ao mesmo tempo, o Estado usa livremente o sinal de companhias telefônicas para monitorar a liberdade dos indivíduos¹ e por mais que se discuta sobre privacidade muito pouco é feito por aqueles que utilizam estes serviços. Nós, de alguma forma, continuamos usando e acostumados com estas tecnologias que podem ferir liberdades e dar ao Estado um poder de controle muito maior do que Hitler algum dia sonhou, por exemplo. 

Mas, enquanto alguns, com razão, temem por sua liberdade, a grande maioria não se sente ferido em sua privacidade, inclusive, o século XXI é, também, considerado tempos de hiper exposição. Jovens, em redes sociais, postam tudo o que desejam e acreditam ser o melhor que tem a oferecer aos outros. Expõem tudo aquilo que sentem em si como amável, isso é, desde lugares que frequentam, sua sensualidade entre tantas outras coisas, sem temer por sua privacidade e liberdade. 

Mesmo assim, em um mundo de hiper exposição, a alma humana ainda se revela, ao mesmo tempo que desejamos mostrar tudo aquilo que achamos amável em nós mesmos, desejamos esconder tudo o que achamos horrível em nossa personalidade. Como fizeram Adão e Eva esconderam-se do Criador por vergonha de seu terrível ato. Genesis 1. 

Esta é a contradição contemporânea, tudo que achamos amável em nós deve ser amplamente divulgado, exposto a todos, enquanto, tudo que achamos feio, vergonhoso, deve ir para debaixo do tapete da privacidade. 

Em um quadro complexo como este, a doutrina da providência, pode afetar o ser humano profundamente. Saber que um Ser onisciente, conhece todas as nossas suas falhas, e detém tudo que é possível saber a seu respeito, inclusive, ações que nós mesmos ainda não sabemos que iremos, em algum momento da nossa história, realizar, pode ser amedrontador. Isto, talvez seja o que Sartre tinha em mente, quando fala de um “espreitador cósmico”. 

Para um homem como Sartre, longe da Graça que há em Cristo Jesus, Deus governar a Terra e toda sua plenitude nos mínimos detalhes, sabendo exatamente tudo o que está acontecendo, e regendo um caminho e o um destino a toda criação Salmo 24: 1-2, ao ponde de até mesmo um pardal não cair em terra sem que seja de Sua plena vontade (Mt 10:23). Realmente, deve ser assustador! 

Mas, para aqueles que conheceram a benevolência e a misericórdia do Senhor, que têm em Cristo Sua esperança eterna. A providência é o consolo e refrigério da alma. Porque ao mesmo tempo que Deus conhece todas as nossas falhas Ele conhece, igualmente, todos os nossos medos e todas as dores que assolam nossas almas. Isto é, saber que Deus é onisciente, Todo-Poderoso, totalmente bom, e cuida de Sua Criação nos detalhes mais ínfimos, é nossa segurança, e, nisso, confiamos, Ele conhece todas as nossas necessidades mesmo antes Lho pedir, Mateus 6:8

Sproul, R. C. Deus controla tudo?. São José dos Campos, Editora Fiel: 2013. Digital. 

Motyerm J. A. Os Salmos, Comentário Bíblico Vida Nova. São Paulo, Vida Nova: 2017. Impresso. 

  1. Em 2020, o Governador de São Paulo, João Doria (PSDB), em acordo com as companhias de telefonia do país, anunciou o “Funcionamento do Sistema de Monitoramento Inteligente” (SIMI), um meio para acompanhar o distanciamento social e o índice de isolamento durante a pandemia do coronavírus. Época Negócios: “SP fechou acordo com operadoras de celular para monitorar isolamento, diz Doria” < https://epocanegocios.globo.com/Brasil/noticia/2020/04/epoca-negocios-sp-fechou-acordo-com-operadoras-de-celular-para-monitorar-isolamento-diz-doria.html#:~:text=Segundo%20o%20governador%2C%20foi%20fechado,e%20georreferenciamento%20dos%20aparelhos%20celulares.> 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *